Sindicato dos Jornalistas, UNIC Rio e parceiros premiam melhores reportagens sobre população negra

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A segunda edição do Prêmio Nacional Jornalista Abdias Nascimento consagrou oito trabalhos, de diferentes estados do País, entre 170 inscritos.

Vencedores do Prêmio Jornalista Abdias Nascimento (Foto: Felipe Siston / UNIC Rio)A noite da última segunda-feira (12/11), no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro, exaltou o jornalismo que destaca as lutas dos negros brasileiros e o combate ao preconceito. A segunda edição do Prêmio Nacional Jornalista Abdias Nascimento consagrou oito trabalhos, de diferentes estados do País, entre 170 inscritos.

Na categoria televisão, a vencedora foi Luciana Barreto. Junto com sua equipe, a jornalista realizou a matéria Caminhos da Reportagem: Negros no Brasil – Brilho e Invisibilidade, veiculada na TV Brasil. ”Quando a gente compilou os números (para a matéria), percebemos que a realidade era muito dura. Tivemos que pensar em como não fazer as pessoas chorarem em casa”, conta Luciana.

Na mesma categoria, Miriam Leitão e Claudio Renato receberam menção honrosa pelo trabalho A arqueologia da escravidão- Cemitério dos Pretos Novos e Cais do Valongo, da GloboNews. “Foi um reportagem emocionante de fazer. Chamei historiadores negros, jovens, que pudessem contar a chegada dos negros pelo Valongo”, lembra Miriam. “Todos os trabalhos que estão na disputa são muito bons”, completa.

Na Mídia Impressa, os vencedores foram Antônio Gois e Alessandra Duarte, com a matéria Desigualdade em trabalhos iguais, de O Globo. O texto revela as diferenças salariais no mercado de trabalho em função da cor da pele a partir de dados do IBGE. “Negros ganham menos do que brancos e mulheres ganham menos do que homens, inclusive no jornalismo”, atesta Gois, expondo o reflexo do preconceito que foi retratado em números na reportagem.

A noite de entrega dos prêmios reservou uma surpresa para o professor e jornalista Muniz Sodré. Ele recebeu uma placa do Prêmio Abdias por sua contribuição no combate ao racismo e em prol da diversidade cultural. “Abdias Nascimento se arriscou para garantir o protagonismo do negro na sociedade brasileira,  foi a palavra da libertação e da afirmação do negro na sociedade brasileira”, afirma Sodré.

O evento foi finalizado com a participação do também jornalista Heraldo Pereira, que falou da longa caminhada contra o preconceito. O show de encerramento foi estrelado por Tia Surica com participação especial da cantora Mariene de Castro.

O Prêmio Nacional Jornalista Abdias Nascimento é uma iniciativa da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira-Rio), do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro (SJPMRJ) e conta com o apoio do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

Confira a lista dos vencedores da segunda edição do Prêmio Nacional Jornalista Abdias Nascimento:

Mídia Impressa

Antonio Gois e Alessandra Duarte, Desigualdade em trabalhos iguais, O Globo – RJ

Televisão

Luciana Barreto e equipe, Caminhos da Reportagem: Negros no Brasil – Brilho e Invisibilidade, TV Brasil – RJ

Menção honrosa

Míriam Leitão e Claudio Renato, A arqueologia da escravidão – Cemitérios dos Pretos Novos e Cais do Valongo, Globo News – RJ

Rádio

Nestor Tipa Junior, Quilombos urbanos, Rádio Gaúcha – RS

Especial de Gênero

Ed Wanderley, Negra é minha cor, Diário de Pernambuco – PE

Internet

Priscila Borges, UNB já formou mais de 1 mil universitários pelas cotas, Portal iG – DF

Mídia Alternativa ou Comunitária

Tatiana Félix, Karol Assumção, Natasha Pitts e Rogeria Araujo, Série Negros no Ceará: Redenção?, Agência Adital – CE

Fotografia

Nilton Fukuda, Excluídos pelo Crack, O Estado de São Paulo – SP


Comente

comentários