Postagens com a tag ‘Desenvolvimento’



22/06/2012


Em entrevista coletiva hoje (22/6), o Secretário-Geral da Rio+20, Sha Zukang, apresentou uma importante conquista da Rio+20: foram contabilizados 705 compromissos voluntários entre governos, ONGs e Major Groups – incluindo 500 empresas, indústrias, universidades, entre outros – nos eventos oficiais e paralelos realizados antes e durante a Conferência da ONU no Rio de Janeiro.

No total, serão investidos 513 bilhões de dólares somente nos 13 principais projetos, bem como nas demais parcerias, programas e ações nos próximos 10 anos nas áreas de transporte, energia, economia verde, redução de desastres e proteção ambiental, desertificação, mudanças climáticas, entre outros assuntos relacionados ao desenvolvimento sustentável.

No total foram 50 acordos que envolvem governos, 72 entre o Sistema ONU e ONGs, 226 entre empresas e a indústria, 243 entre universidades e escolas de todo mundo.

Os maiores valores acordados serão doados pelo Banco de Desenvolvimento Asiático e oito dos principais Bancos Multilaterais de Desenvolvimento (MDBs, na sigla em inglês), com 175 bilhões de dólares para a área de transportes, enquanto 50 bilhões de dólares serão investidos na iniciativa do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, ‘Energia Sustentável para Todos’. O Japão vai investir seis bilhões de dólares em programas sobre economia verde e redução de desastres, ao passo que a Alemanha se comprometeu a ajudar em ações sobre acesso a energia com 3,3 bilhões de dólares.

“A Rio+20 é sobre implementação e ações concretas. Aqui vimos que governos, Sistema ONU e Major Groups estão comprometidos de forma séria. Os acordos voluntários são uma parte fundamental do legado da Conferência e complementam o documento oficial da Rio+20. Estes acordos unem os atores-chave globais numa mesma causa, alcançar o desenvolvimento sustentável. Os governos não podem fazer este trabalho sozinhos, eles precisam do apoio do setor privado e da sociedade civil”, afirmou Sha Zukang.

Veja todos os compromissos em http://www.uncsd2012.org/allcommitments.html

Tags: ,
Comentários: Nenhum comentário.


21/06/2012


As Nações Unidas contabilizaram na abertura da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, quarta-feira (20/06), 487 compromissos voluntários para a Rio+20. Eles vem sendo elaborados por parte da socidade civil e do setor privado em paralelo aos acordos oficiais do documento oficial da Conferência “O Futuro que Queremos”.

Entre os acordos anunciados, a Porta-Voz da Conferência, Pragati Pascale, divulgou 38 novos compromissos vindos do Fórum de Sustentabilidade Corporativa da Rio+20, organizado pelo Pacto Global. No total, já são 200 metas definidas pelo setor privado na Conferência.

550 milhões de toneladas a menos de gases prejudiciais

O Banco Asiático de Desenvolvimento fechou um compromisso de 1,75 bilhões de dólares com oito bancos multilaterais para financiar projetos de desenvolvimento sustentável em países em desenvolvimento até 2020.

Sobre transporte, a Associação Internacional em Transporte Público prometeu dobrar a presença de transporte público nas cidades até 2025. De acordo com cálculos da Associação, esse compromisso evitará a emissão de 550 milhões of toneladas de gases estufa.



20/06/2012


Onze empresas receberam na terça-feira ( 19/06) o prêmio World Business and Development Awards 2012 (WBDA) por seus esforços para melhorar os padrões de vida em algumas das comunidades mais desfavorecidas do mundo. Os vencedores foram reconhecidos na cerimônia de celebração do Dia da Ação Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), da qual participam líderes mundiais, juntamente com milhares de representantes de governos, setor privado, ONGs e outros grupos.

O prêmio reconhece modelos inovadores de empresas que proporcionam sucesso comercial e, ao mesmo tempo, ajudam a melhorar as condições sociais, econômicas ou ambientais com companhias envolvidas em iniciativas diversas: desde a oferta de microcrédito no Brasil até o fornecimento de energia limpa e acessível para comunidades de baixa renda no Quênia e o incentivo ao reflorestamento na Índia. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) é um dos organizadores do evento.

“Os premiados em anos anteriores mostraram como as empresas podem ajudar a estimular o crescimento e o desenvolvimento sustentável. Eles podem ser uma enorme fonte de soluções inovadoras e sustentáveis que ajudam a melhorar a vida das pessoas”, disse Helen Clark, Administradora do PNUD.

O prêmio demonstra como as empresas podem, através de suas atividades principais, ajudar a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) – oito metas acordadas internacionalmente para reduzir a pobreza e a degradação ambiental e melhorar as condições de educação, saúde e igualdade de gênero até 2015.



18/06/2012


(Da esquerda) Sara Svensson, ativista ambientalista da Suécia; Pedro Telles, socioambientalista do Brasil; Mary Robinson, ex-primeira ministra irlandesa; Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente do Brasil; Gro Brundtland, ex-primeira ministra da Noruega; Esther Agbarakwe, ativista da Nigéria; Marvin Nala, defensor do meio ambiente da China (UNIC Rio / Pieter Zalis)Nas últimas quatro semanas, os membros do grupo conhecido como The Elders (Anciãos, em tradução livre) estiveram conversando com quatro jovens ativistas do mundo sobre a importância do diálogo entre as gerações no objetivo de criar um planeta mais sustentável. As conversas tiveram desfecho no evento Ancião+Jovens, realizado hoje (18/06) no Riocentro, contrapondo temas como direitos humanos e crescimento econômico.

“Acreditamos que precisamos colocar a justiça social em primeiro plano para que as instituições e a economia sigam este caminho”, disse o ativista brasileiro Pedro Telles.

Já o membro do grupo Anciãos e ex-Presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, falou sobre a necessidade de se avançar no desenvolvimento econômico. “Hoje temos a consciência sobre a necessidade da implementacão de medidas sobre crescimento e desenvolvimento. Mas o ritmo dessa conscientização não está se transformando em decisões práticas”, cobrou.

Além do ativista brasileiro, também participaram das conversas Ancião+Jovens: Esther Agbarakwe, da Nigéria, Marvin Nala, da China, e Sara Svensson, da Suécia.

Criado pelo ex-presidente sul-africano, Nelson Mandela, em 1997, o grupo dos Anciãos é formado por líderes globais que procuram representar uma voz independente na busca dos direitos humanos universais, agindo através do diálogo com Governos e sociedade civil.

No grupo dos Anciãos, além de Fernando Henrique e Nelson Mandela, também fazem parte: o ex-Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan; a ex-Primeira Ministra irlandesa, Mary Robinson; a ex-Primeira Ministra da Noruega, Gro Brundtland; o ex-Presidente americano Jimmy Carter; o ativista argeriano Lakhdar Brahimi; a ativista indiana Ela Bhatt; o ex-Presidente da Finlândia, Martti Ahtisaari; e a ativista Graça Machel, de Mocambique. O presidente dos Anciãos é o Arcebispo anglicano Desmond Tutu, da África do Sul.



18/06/2012


Governos e empresas se unem ao PNUD para impulsionar a agricultura sustentável. (PNUD)O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apresentou hoje (18/06) uma iniciativa para impulsionar a agricultura sustentável nos países em desenvolvimento através de parcerias entre governos, empresas e pequenos agricultores.

“Construindo Mercados de Amanhã” é uma aliança do PNUD com governos de países doadores e produtores – incluindo Dinamarca, Costa Rica, Gana, Indonésia – e empresas como a Kraft, Johnson & Johnson e IKEA. Tem como objetivo ajudar os governos na criação de plataformas de commodities, onde os parceiros do setor público e privado se reúnem para ajudar a escala de produção sustentável. A ação visa também melhorar a reforma política e o planejamento agrícola, aumentando o acesso ao financiamento e o fornecimento de treinamento, particularmente para produtores de baixa renda, muitos dos quais são mulheres.

“A adoção e a promoção de práticas sustentáveis de produção exigem um esforço conjunto, algo que na prática é muitas vezes ausente ou insuficiente. Fazer essa mudança necessária na escala exige liderança voltada para o futuro nos setores público e privado”, disse a Administradora do PNUD, Helen Clark, na apresentação da iniciativa no Fórum de Sustentabilidade Empresarial Rio+20. O evento, realizado de 15 a 18 de junho, no Rio de Janeiro, reuniu representantes de centenas de governos, setor privado e ONGs para fortalecer a contribuição das empresas para o desenvolvimento sustentável.

Mais de dois terços dos agricultores vivem com menos de um dólar por dia

Como principal impulsionador do crescimento e maior empregador em muitos países em desenvolvimento, a agricultura representa uma oportunidade para alcançar a população pobre. Mais de dois terços das pessoas vivem com menos de um dólar por dia de trabalho na agricultura, e as mulheres são uma proporção significativa.

Na Indonésia, uma plataforma nacional de óleo de palma será lançada no próximo mês para impulsionar a subsistência de pequenos agricultores e reduzir o desmatamento, envolvendo grandes grupos produtores e companhias compradoras, incluindo a IKEA, Kraft e Johnson & Johnson, em uma nova parceria do PNUD com o governo da Indonésia.

O Fórum de Sustentabilidade Empresarial Rio+20 terminou com um apelo a governos, empresas e outros parceiros a aderir à iniciativa e ajudar a construir os mercados sustentáveis e inclusivos de amanhã.



17/06/2012


Urge a adoção por parte da sociedade de uma política de desenvolvimento que inclua uma ética de negócios baseada no bem-estar das pessoas, agregando valores como qualidade, durabilidade e principalmente a necessidade de consumo. A opinião é do Porta-Voz do Major Group de Negócios e Indústria, Peterpaul Van der Wijs.

Usando exemplo de empresas que já fazem os clientes refletirem sobre a real necessidade de consumo, Van der Wijs acredita que, para obter resultados palpáveis e sair das discussões para a prática, é necessário incluir negócios e indústria, consumidor e governo num só diálogo.

“Já temos esse tipo de discussão nos nossos países, mas aqui, por exemplo, não há inclusão de fato. Se houvesse, os governos estariam presentes hoje aqui”, disse apontado para a plenária de diálogos da sociedade civil, durante o processo informal que se seguiu à reunião preparatória para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).



07/06/2012


O Diretor-Geral da Organização Internacional Trabalho (OIT), Juan Somavia, afirmou na quarta-feira (06/06) que os modelos de crescimento econômico dão muita atenção às finanças e pouca à sociedade. “A ideologia desempenhou um papel demasiado importante na definição das políticas enquanto que a sensibilidade pelos indivíduos, as famílias e as comunidades foi insuficiente.”

Emprego será um dos temas discutidos na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20). Serão discutidas na Conferência novos modelos para medir o progresso econômico que vá além do Produto Interno Bruto (PIB) e formas de gerar empregos e crescimento mais sustentáveis.

Somavia defendeu que o crescimento não pode continuar sendo o critério fundamental da economia mundial. Criar novos empregos, particularmente para os jovens, reduzir a pobreza e o trabalho informal, promover o crescimento da classe média, bem como oferecer um acesso equitativo às oportunidades, deveriam ser os indicadores para medir o êxito econômico.

O Diretor-Geral acrescentou que o atual período de crise pode ser um momento de criatividade pontecial para que líderes redefinam suas prioridades. “A possibilidade de ter que viver alguns anos a mais de crise ou que a recuperação econômica seja fraca está despertando as consciências.”



06/06/2012


CEPAL/OITTaxa de desocupação regional caiu para 6,7% em 2011 e espera-se que continue diminuindo em 2012, aponta relatório conjunto da CEPAL e da OIT.

Os mercados de trabalho da América Latina e do Caribe continuaram se recuperando em 2011 e espera-se que mantenham uma tendência positiva em 2012 com uma nova queda no desemprego urbano para até 6,5%, apesar da incerteza gerada por um contexto econômico internacional cada vez mais complexo, segundo indica um relatório conjunto da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O novo número da publicação conjunta – “Coyuntura laboral de América Latina y el Caribe” – indica que a taxa de desemprego urbano da região caiu de 7,3% em 2010 para 6,7% em 2011, níveis nunca vistos desde o começo dos anos 1990.

Para 2012, a CEPAL e a OIT calculam que haverá um crescimento econômico regional levemente mais baixo do que o de 2011, no contexto de uma economia mundial caracterizada pelo enfraquecimento de vários de seus principais motores econômicos e uma elevada incerteza relacionada, sobretudo, às perspectivas da zona do euro.

Entretanto, é prevista uma nova queda da taxa de desemprego, a um patamar de até dois décimos percentuais (para 6,5%).

Os dois organismos das Nações Unidas acrescentam que também cresceu a proporção dos postos de trabalho formais que contam com proteção social e baixou o subemprego, enquanto os salários – tanto médios como mínimos – s aumentaram em termos reais, ainda que moderadamente.

O PIB aumentou. Renda do trabalhador não

Por outro lado, o documento indica que nos mercados de trabalho persistem importantes lacunas e problemas graves de inserção profissional, sobretudo para as mulheres e para os jovens, que continuam com níveis desfavoráveis de desemprego e de outros indicadores do trabalho.

Persiste ainda uma redistribuição desfavorável aos trabalhadores assalariados em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) dos países, já que durante o período de um crescimento econômico relativamente elevado entre 2002 e 2008, em 13 deles diminui a participação dos salários no PIB, aumentando somente em oito países de um total de 21 países com informação disponível.

“A região necessita crescer mais e melhor. É necessário aumentar continuamente a produtividade na América Latina e no Caribe como base de melhoras sustentadas do bem-estar da população e para reduzir a brecha externa que separa as economias da América Latina e do Caribe das mais avançadas”, afirmam Alicia Bárcena, Secretária Executiva da CEPAL e Elizabeth Tinoco, Diretora Regional do Escritório da OIT para as Américas, no prefácio do documento.

Ainda que durante o período de 2002 a 2010 a região tenha conseguido alguns avanços, com um crescimento anual da produtividade do trabalho de 1,5%, estes progressos estão abaixo dos de outras regiões, como a África Subsaariana (+2,1%) e, sobretudo, a Ásia Oriental (8,3%, excluindo o Japão e a Coreia do Sul), mostra o relatório.

Além disso, na maioria dos países os salários cresceram menos que a produtividade. A Secretária Executiva da CEPAL e a Diretora Regional da OIT advertem que é imperativo reduzir a desigualdade, visto que é urgente reduzir a lacuna da produtividade entre as empresas mais modernas e a grande quantidade de empresas de baixa produtividade e estreitar o vínculo entre a produtividade e os salários.

“É relevante assumir esse duplo objetivo: avançar no crescimento da produtividade e fortalecer os mecanismos para uma distribuição dos ganhos correspondentes que estimule o investimento e fortaleça a renda dos trabalhadores e de seus domicílios”, apontaram Bárcena e Tinoco.

Acesse o documento em www.eclac.cl/id.asp?id=46824



05/06/2012


O Sistema ONU, em parceria com o Governo do Estado de Rio de Janeiro, promovem o Seminário “As Nações Unidas e a Cooperação Internacional para o Desenvolvimento”, no dia 16 de junho, das 10h às 18h, no Pavilhão do Governo do Estado do Rio de Janeiro, no Parque dos Atletas.

A programação do Seminário inclui palestra magna sobre sustentabilidade, bem como cinco sessões temáticas alinhadas aos Diálogos de Desenvolvimento Sustentável da Conferência Rio+20, com a presença de especialistas do Sistema (PNUMA, PNUD, UNICEF, UNESCO, ONU-HABITAT, ITU, OIT), do Governo Brasileiro e Estadual, além de representantes da sociedade civil.

O Seminário busca compartilhar as visões e identificar os desafios no contexto do desenvolvimento sustentável. Outro ponto é o reforço no comprometimento do Sistema das Nações Unidas para fazer com que as parcerias avancem nas temáticas a serem tratadas: Desenvolvimento Sustentável e Erradicação da Pobreza, Desemprego e Trabalho Decente, Comunicações, Tecnologia e Inovação, Resposta Humanitária e Prevenção de Riscos e Cidades Sustentáveis.

O evento está aberto ao público em geral. Mais informações no site www.rio20.rj.gov.br

Serviço

Seminário “As Nações Unidas e a Cooperação Internacional para o Desenvolvimento”

Data: 16 de junho de 2012
Horário: 10h às 18h
Local: Pavilhão do Governo do Estado do Rio de Janeiro no Parque dos Atletas
Mais informações: www.rio20.rj.gov.br



05/06/2012


Lançamento será nesta quarta-feira, 6 de junho, no Rio de Janeiro. Relatório analisa estado ambiental global e o progresso rumo às metas internacionais.

Local: Palácio Itamaraty, Centro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil (Av. Marechal Floriano, 196)
Data e Hora: Quarta-feira, 6 de junho de 2012, 10:30-11:30
Confira a programação

Oradores:

  • Juan Rafael Elvira, Secretário de Meio Ambiente do México
  • Achim Steiner, Diretor Executivo do PNUMA
  • Henrietta Elizabeth Thompson, Coordenadora Executiva da Conferência Rio+20
  • Carlos Nobre, Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia do Brasil

Após três anos de preparação, que envolveu cerca de 300 especialistas ambientais, a quinta edição do Panorama Ambiental Global 5 (GEO-5) será lançada oficialmente no Rio de Janeiro, Brasil, no dia 6 de junho de 2012 — apenas duas semanas antes da Rio+20, que será sediada na mesma cidade.

O GEO-5 irá apresentar o atual estado do meio ambiente global à comunidade internacional, assim como tendências relacionadas, abrangendo a atmosfera, terra, água, biodiversidade e outras áreas. O estudo também inclui uma cartela global de metas ambientais acordadas internacionalmente. Progressos e falhas no caminho para atingir cerca de 90 objetivos – desde o gerenciamento de produtos químicos e os esforços contra a desertificação, até o apoio às zonas úmidas – serão exibidas em detalhes.

O GEO-5 também apresenta políticas bem sucedidas que podem ser adotadas e potencializadas por países, a fim de auxiliar na transição para uma economia verde, eficiente em recursos e com baixa emissão de carbono.

Em complemento, o GEO-5 identificou respostas políticas que permitem que todas as regiões globais lidem com seus problemas ambientais mais graves e auxiliem no desenvolvimento sustentável como um todo. O GEO-5 concentra-se nos condutores subjacentes das mudanças ambientais (como o impacto do crescimento da população, consumo e produção, urbanização) em vez de simplesmente reagir aos efeitos da degradação do meio ambiente.

Enquanto governos, sociedade civil e outros grupos se preparam para as negociações da Rio+20, o GEO-5 irá fornecer uma análise científica compreensiva que mapeia a extensão das pressões ambientais que o planeta enfrenta e as soluções para gerenciá-las de maneira sustentável.

Um painel de discussões sobre as descobertas do GEO-5 será conduzido após a coletiva de imprensa.

Os autores dos capítulos da América Latina e Caribe do GEO-5 também estarão disponíveis para entrevistas.

O lançamento dos GEO-5 regionais acontecerão simultaneamente em dez cidades, entre os dias 5 e 6 de junho de 2012.

Para mais informações sobre o GEO-5, por favor acesse www.unep.org/geo ou entre em contato com:

Redação PNUMA (Nairobi, Quênia): +254 20 762-3088 ou no e-mail unepnewsdesk@unep.org

Para confirmar presença na coletiva de imprensa, favor entrar em contato com:

Amanda Talamonte (Assesora de Imprensa do PNUMA Brasil): +55(61)3038-9237 ou no e-mail comunicacao@pnuma.org


Notícias anteriores »