Relatório apoiado pela ONU traça origens e causas do desperdício global de alimentos

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A perda em todo o mundo é de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos por ano – equivalente a um terço da produção mundial para consumo humano.

Foto: Agência Brasil

Nesta quarta-feira (2), um painel de especialistas apoiados pelas Nações Unidas apresentou o relatório Desperdício e perda de alimentos no contexto de sistemas alimentares sustentáveis, que traça as origens e as causas do desperdício de alimentos e recomenda algumas ações possíveis para reduzir as 1,3 bilhão de toneladas de comida que são perdidas anualmente em todo o mundo.

“A perda e desperdício de comida são consequência do modo com que os sistemas de alimentos funcionam atualmente, em nível técnico, cultural e econômico”, explicou o Painel de Alto Nível de Especialistas do Comitê sobre Segurança Alimentar Mundial, a mais importante plataforma internacional e intergovernamental para discussões e definição de agenda sobre questões relacionadas com a segurança alimentar global.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o desperdício adquiriu alta visibilidade: cerca de um terço de toda a comida produzida para consumo humano acaba perdido, prejudicando a segurança nutricional das populações e a sustentabilidade do sistema alimentar – que garante a disponibilidade de comida para as atuais e futuras gerações.

Valendo-se de uma perspectiva sistêmica, o relatório analisou os impactos da perda de alimentos com base em uma ampla lista de causas. “Reduzir as perdas e o desperdício é essencial para melhorar a segurança alimentar e diminuir a pegada ecológica dos sistemas de produção de alimentos”, afirma o documento.


Mais notícias de:

Comente

comentários