Ministério do Meio Ambiente e PNUD organizam exposição para incentivar reciclagem de gases

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

‘Ilha do Meio Ambiente’ foi realizada dentro de feira do setor de refrigeração, que termina hoje (23/9) em São Paulo e discutiu soluções tecnológicas pró-desenvolvimento sustentável.

PNUD e Ministério do Meio Ambiente organizam exposição com ideias para incentivar reciclagem de gases‘Ilha do Meio Ambiente’ foi realizada dentro de feira do setor de refrigeração, que termina hoje (23/9) em São Paulo e discutiu soluções tecnológicas pró-desenvolvimento sustentável.

Empresas dos vários segmentos da indústria de ar condicionado, aquecimento, ventilação e refrigeração têm pela frente um desafio: desenvolver tecnologias capazes de reduzir o uso de hidroclorofluorcarbonos (HCFCs). O objetivo é cumprir a meta estabelecida pelo Ministério do Meio Ambiente de cortar em 10% o consumo dessas substâncias até 2015. A meta segue as diretrizes estabelecidas pelo Protocolo de Montreal – tratado internacional das Nações Unidas para proteção da camada de ozônio, do qual o Brasil é signatário.

Enquanto ainda não há soluções tecnológicas definitivas para eliminar esses gases danosos à camada de ozônio da produção de todo o setor, iniciativas têm ocorrido no sentido de despertar a atenção das empresas para os efeitos nocivos dos HCFCs e de buscar alternativas ao seu uso. Uma delas acontece esta semana em São Paulo, durante a 17ª Feira Internacional de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação, Aquecimento e Tratamento do Ar (FEBRAVA).

Por meio de uma parceria entre os organizadores do evento, o Ministério do Meio Ambiente e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), foi montada no local a Ilha do Meio Ambiente, um espaço de 300 m2 que abriga uma exposição de máquinas usadas na reciclagem dos gases utilizados nos equipamentos de refrigeração e um auditório para palestras e mesas redondas.

O objetivo é alertar o setor para a importância da reciclagem e reutilização dos gases de forma a reduzir os efeitos negativos no ambiente e promover discussões sobre a urgência dos cuidados ambientais nos vários segmentos da indústria de refrigeração.

“A feira é uma excelente oportunidade para a troca de informações e conhecimentos sobre o tema. É a chance de divulgarmos à iniciativa privada as ações que estamos desenvolvendo no âmbito do Programa Brasileiro de Eliminação de HCFCs, o qual será apresentado durante o evento”, avalia Marina Ribeiro, gerente de projetos do PNUD para o Protocolo de Montreal.

Técnicos do PNUD, do Ministério do Meio Ambiente, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Agência Alemã de Cooperação (GIZ) e representantes da iniciativa privada farão palestras durante a feira.

Na quarta-feira (22), a diretora mundial da Unidade do Protocolo de Montreal, Suely Carvalho, participou de uma mesa redonda. Ela falará sobre as experiências internacionais para a utilização de fluidos refrigerantes alternativos e sobre os programas nacionais para eliminação de HCFCs. Os visitantes também poderão consultar técnicos e especialistas no assunto, que estarão de plantão no local para esclarecer dúvidas e prestar orientações.


Comente

comentários