No Dia para a Eliminação da Discriminação Racial, ONU adverte para ligação entre racismo e conflitos

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O racismo e a discriminação racial têm sido usados como armas para gerar medo e ódio. Em casos extremos, os líderes instigam o preconceito para incitar genocídio, disse o Secretário-Geral da ONU.

A ONU alertou hoje (21/03) sobre a perigosa ligação entre o racismo e conflitos, e pediu para que a comunidade internacional tome atitudes antes que movimentos violentos explodam e acabem em situações catastróficas.

“O racismo e a discriminação racial têm sido usados como armas para gerar medo e ódio. Em casos extremos, os líderes instigam o preconceito para incitar o genocídio, crimes de guerra e crimes contra a humanidade”, disse o Secretário-Geral Ban Ki-moon, em sua mensagem para marcar o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, comemorado hoje.

Em 21 de março de cada ano, a ONU relembra o triste episódio de 1960, quando dezenas de manifestantes pacíficos foram mortos a tiros pela polícia no município sul-africano de Sharpeville, quando eles protestavam contra o apartheid.

Em sua declaração para assinalar essa data, a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, citou uma pesquisa que indica que 55% dos conflitos violentos entre 2007 e 2009 tiveram as violações dos direitos das minorias ou as tensões étnicas em seu núcleo. A relação entre o racismo e os conflitos é “profunda e consolidada” advertiu.

Com o intuito de combater a discriminação, a ONU lançou um site e uma campanha pelo Facebook e Twitter para encorajar os seguidores a dar seu suporte contra o flagelo da intolerância.


Comente

comentários