Natalia Kanem, diretora-executiva em exercício do UNFPA. Foto: UNFPA

ARTIGO: População e mudanças climáticas

Em artigo, a diretora-executiva em exercício do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Natalia Kanem, menciona conexões equivocadas frequentemente feitas entre crescimento populacional e mudança climática.

Segundo ela, apesar de o crescimento populacional fazer com que mais pessoas consumam mais e, portanto, emitam mais gases do efeito estufa, essas emissões não estão distribuídas de forma igualitária entre todas as populações do mundo.

O trabalho infantil atinge cerca de 3,3 milhões de crianças entre 5 e 17 anos em todo o Brasil, segundo dados de 2014 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foto: EBC

Brasil e outros seis países latino-americanos testam ferramenta estatística sobre trabalho infantil

Sete países latino-americanos e caribenhos, entre eles o Brasil, estão testando um modelo estatístico que classifica territórios da região de acordo com o nível de probabilidade da incidência de casos de trabalho infantil, e identifica quais fatores contribuem para o fenômeno.

O acesso a dados é essencial para o desenho de políticas públicas articuladas e preventivas, afirmou a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Apesar dos avanços no combate a essa violação de direitos, em 2016 existiam quase 11 milhões de crianças de 5 a 17 anos em situação de trabalho infantil nas Américas.

Seleção do Togo comemora sua primeira vitória durante a Copa dos Refugiados, competição que envolveu cerca de 250 jogadores de 16 nacionalidades. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni.

Marrocos e Nigéria disputam final inédita na 4ª Copa dos Refugiados em São Paulo

Depois de envolver mais de 200 jogadores refugiados nas disputas eliminatórias no último fim de semana, o estádio do Pacaembu, em São Paulo, será palco da grande final entre Nigéria e Marrocos, duas equipes invictas do maior evento esportivo para refugiados no Brasil. O evento é apoiado pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

As duas seleções chegaram ao topo da competição após uma exaustiva disputa que envolveu 16 times. Em jogos eliminatórios e disputas acirradas, algumas favoritas, como Camarões e Mali, foram eliminadas e abriram espaço para a final inédita, a ser disputada às 15h de domingo (24).

Escravidão moderna afeta 40 milhões de pessoas no mundo; trabalho infantil atinge 152 milhões

Uma nova pesquisa da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da Fundação Walk Free, em parceria com a Organização Internacional para as Migrações (OIM), revela a verdadeira escala da escravidão moderna em todo o mundo.

Os dados, lançados nesta terça-feira (19) durante a Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque, mostram que mais de 40 milhões de pessoas foram vítimas da escravidão moderna em 2016 globalmente. Além disso, a OIT também lançou uma nova estimativa de que cerca de 152 milhões de crianças entre 5 e 17 anos foram submetidas ao trabalho infantil no mesmo ano.

Alicia Bárcena, secretária-executiva da CEPAL ao lado de Juan Somavía, diretor da Academia Diplomática do Chile. Foto: Academia Diplomática do Chile/Ximena Puccio

Metas da ONU são resposta contra as desigualdades e privilégios, defende CEPAL

Em encontro global de institutos de formação de diplomatas, no Chile, a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, defendeu que países incorporem a Agenda 2030 da ONU em seus planos nacionais de desenvolvimento. Objetivos das Nações Unidas, segundo a dirigente, são uma resposta da comunidade internacional para enfrentar disparidades econômicas, sociais e ambientais.

Nova publicação da CEPAL analisa desenvolvimento urbano na América Latina e no Caribe

Um novo livro da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) analisa o desenvolvimento urbano da região a partir de um olhar integral, considerando aspectos sociais, econômicos, ambientais e de governança.

O material pretende ser uma contribuição para que os tomadores de decisões, acadêmicos e o público em geral possam reconhecer as dinâmicas da urbanização nas cidades latino-americanas e caribenhas.

Ativistas feministas defendem direitos das mulheres durante a passeata no Rio de Janeiro. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Agência da ONU discute combate à violência contra as mulheres em fórum no Rio

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participa da quinta edição do Fórum Sexual Violence Research Initiative — SVRI (Iniciativa de Pesquisa sobre Violência Sexual), que ocorre até quinta-feira (21), no hotel Sheraton Grand Rio Hotel & Resort, no Rio de Janeiro.

No evento, a agência da ONU divulgará informações sobre como identificar a violência por parte de um parceiro íntimo durante a gestação e compartilhará experiências para combate à violência de gênero em situações de emergência, como desastres naturais, conflitos armados e instabilidades sociais e políticas.

Debate abordou desigualdades de gênero enfrentadas por servidores públicas dentro e fora das instituições onde trabalham. Foto: ONU Mulheres/Amanda Talamonte

Escola Nacional de Administração Pública adere a movimento da ONU pela igualdade de gênero

A Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) oficializou na semana passada (13) a sua adesão ao movimento ElesPorElas (HeForShe, no original em inglês) da ONU Mulheres. Iniciativa visa engajar homens na luta pela igualdade de gênero. Cerimônia de formalização contou ainda com um debate sobre políticas para estimular a presença de mulheres em posições de liderança na política.

A maioria dos venezuelanos vivendo em Roraima é jovem e possui boa formação escolar. A maioria já trabalha, e muitos enviam recursos para seus familiares na Venezuela. Foto: ACNUR/ Luiz Fernando Godinho

Maioria de venezuelanos em Roraima é jovem, possui boa escolaridade e está trabalhando

A maioria dos venezuelanos não indígenas vivendo em Roraima é jovem, possui boa escolaridade, tem atividade remunerada e paga aluguel. Entre os que trabalham, 51% recebem menos de um salário mínimo e 28% estão formalmente empregados. Muitos enviam ajuda financeira aos familiares que estão na Venezuela, e apontam a crise econômica e política como principal motivo para se deslocar. Já os venezuelanos indígenas que vivem em Roraima indicam a fome como motivo de seu deslocamento, sendo que as mulheres são a principal fonte de renda neste grupo.

O estudo — realizado pelo Conselho Nacional de Imigração, vinculado ao Ministério do trabalho, e com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) — aponta o perfil sociodemográfico e laboral dos venezuelanos que vivem em Roraima, de forma a apoiar a formulação de políticas migratórias no Brasil.

Frei Tomás González Castillo, diretor do La 72, abrigo para refugiados em Tenosique, no México, defende direitos dos solicitantes de refúgio, incluindo pessoas da comunidade LGBTI. Foto: ACNUR/Markel Redondo.

Trabalhos que transformam vidas; conheça indicados ao Prêmio Nansen 2017

Da educação para refugiados no oeste de Uganda ao acolhimento de solicitantes de refúgio LGBTI que fogem de perseguições na América Central, os cinco indicados ao Prêmio Nansen da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) deste ano representam o empenho de todos aqueles que apoiam pessoas deslocadas por guerras e violência no mundo todo.

O prêmio humanitário foi criado em 1954 em memória do primeiro alto-comissário para refugiados, Fridjtof Nansen, e será entregue em 2 de outubro em Genebra, na Suíça.

Refugiados residentes em São Paulo. Foto: ACNUR / L. Leite

Universidade Católica de Santos promove seminário sobre proteção de refugiados

A Universidade Católica de Santos (UNISANTOS) concluiu nesta sexta-feira (15) o 8º Seminário Nacional e a 2ª Conferência Internacional da Cátedra Sergio Vieira de Mello da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em Santos, São Paulo.

O evento discutiu o conceito de refúgio e a necessidade de proteção dessa população, além de temas como os 20 anos da Lei do Refúgio no Brasil e os 50 anos do protocolo relativo aos refugiados.

Manifestação democrática em São Paulo, no Brasil, em maio de 2017. Foto: Mídia Ninja

Especialista da ONU pede democratização da mídia

A democracia e a autodeterminação são essenciais para a prevenção de conflitos nacionais, regionais e internacionais, mas estão sob ataque das notícias falsas – em inglês “fake news” –, notícias incompletas e politicamente direcionadas.

O entendimento é do professor de direito internacional e especialista independente das Nações Unidas, Alfred de Zayas, em uma declaração para marcar o Dia Internacional da Democracia (15 de setembro).

Metade da população centro-africana passa fome devido à intensificação de conflitos internos, desde setembro de 2015. Foto: ACNUR / H. Caux

ONU: após uma década de queda, fome volta a crescer no mundo

Após um declínio constante por mais de uma década, a fome no mundo está novamente em ascensão, impulsionada por conflitos e mudanças climáticas. Em 2016, a fome afetou 815 milhões de pessoas ou 11% da população global.

Os dados constam na nova edição do relatório anual das Nações Unidas sobre segurança alimentar e nutricional. O documento alertou também que múltiplas formas de má nutrição ameaçam a saúde de milhões de pessoas em todo o mundo.

Em entrevista à ONU Mulheres, líderes quilombolas falam sobre supressão de direitos e resistência

Como parte da estratégia “Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030”, a ONU Mulheres entrevistou as líderes quilombolas Célia Cristina da Silva Pinto e Maria Rosalina dos Santos, da Coordenação Nacional de Comunidades Quilombolas (CONAQ).

Segundo elas, as mulheres quilombolas estão cada vez mais expostas a variadas formas de violência, são mais afetadas por conflitos territoriais, empreendimentos desenvolvimentistas e pela supressão de direitos. No entanto, mesmo nesse cenário, essas comunidades resistem, afirmaram. Leia a entrevista.

Novo projeto de cooperação Sul-Sul promove o trabalho decente em países produtores de algodão na África e na América Latina, como parte do Programa de Parceria Brasil/OIT para a Promoção da Cooperação Sul-Sul. Foto: Flickr/Kimberly Vardeman

OIT lembra importância de garantir trabalho decente na cadeia produtiva do algodão

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) participou no fim de agosto do 11º Congresso Brasileiro do Algodão em Maceió (AL), o mais importante evento do ramo no país, que reuniu cerca de 1,2 mil participantes, incluindo representantes do setor algodoeiro de Paraguai, Peru, Moçambique e Mali.

“Foi uma ótima oportunidade para esses países terem uma visão de toda a iniciativa do algodão que está sendo promovida pelo Brasil, e da importância do trabalho decente nessa cadeia produtiva”, disse a coordenadora do Programa de Cooperação Sul-Sul Brasil-OIT, Fernanda Barreto.

Colheita de milho em Sertão Santana. Foto: Pedro Revillion / Palácio Piratini (CC)

Com participação da FAO, setores produtivos do agronegócio debatem inovação sustentável

Seminário ocorrido em Brasília contou a mediação do representante da FAO Brasil, Alan Bojanic. Produzir sem impactar o meio ambiente se tornou um desafio do agronegócio brasileiro, que este ano deve movimentar R$ 1,7 trilhão. Com as mudanças no clima, novos acordos ambientais e exigências dos parceiros comerciais do Brasil, sustentabilidade e inovação se tornaram condições exigidas pela sociedade e pelos agentes que compõe o setor.

Estudantes participam de atividades no estande da ONU Mulheres. Foto: ONU Mulheres/Ana Lúcia Monteiro

ONU Mulheres incentiva empoderamento de meninas nos Jogos Escolares de Curitiba

A ONU Mulheres realizou ações sobre igualdade de gênero entre estudantes e público em geral nos Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017, que começaram na terça-feira (12) e reúnem jovens atletas de 12 a 14 anos no ginásio do Círculo Militar em Curitiba (PR).

Na competição, a agência da ONU apresentou o programa Uma Vitória Leva à Outra, realizado em parceria com o Comitê Olímpico Internacional e o Comitê Olímpico Brasileiro.

Mais de 3,5 milhões de crianças refugiadas com idade entre 5 e 17 anos não tiveram a oportunidade e frequentar a escola no último ano letivo, revela o ACNUR. Foto: ACNUR/ P.Wiggers

Relatório do ACNUR aponta crise na educação de crianças refugiadas

Mais de 3,5 milhões de crianças refugiadas com idade entre 5 e 17 anos não tiveram a chance de frequentar a escola no último ano letivo, mostrou a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), em relatório divulgado na segunda-feira (11).

Globalmente, 91% das crianças frequentam a escola. Entre os refugiados, no entanto, este índice é bem menor, de apenas 61%. Em países de baixa renda, chega a ser de 50%, informou a agência da ONU.

O compartilhamento de notícias falsas tem se tornado um problema de grande complexidade para a população, diz ONU. Foto: Banco Mundial

Verificar informações antes de compartilhar é a melhor forma de combater notícias falsas, destaca fórum da ONU

Em meio ao aumento da proliferação de notícias falsas – “fake news”, em inglês – e do desafio de discernir entre informações verídicas e falsas, um fórum das Nações Unidas discutiu formas de tratar deste complexo assunto. O encontro debateu caminhos para levar aos cidadãos as habilidades e ferramentas necessárias para avaliar a credibilidade de qualquer conteúdo da mídia ou de uma fonte de notícias.

FAO divulgou resultado de concurso de histórias de mulheres rurais na América Latina e no Caribe. Foto: EBC

FAO anuncia histórias vencedoras de concurso Mulheres Rurais da América Latina e do Caribe

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) divulgou nesta segunda-feira (11) a lista de vencedoras do concurso de histórias de mulheres rurais da América Latina e do Caribe.

Mulheres que enfrentaram os efeitos da industrialização de cacau na Bolívia e outras que semearam palmeiras nos territórios recuperados pela paz na Colômbia foram as vencedoras. Duas histórias brasileiras receberam menção honrosa.

A cidade de Sobral, localizada em uma das regiões beneficiadas pelo projeto financiado pela agência agrícola da ONU. Foto: Acervo IPHAN

Governador do Ceará envia projeto para autorizar uso de recursos da ONU para agricultura familiar

O governador do Ceará, Camilo Santana, assinou o Projeto de Lei que autoriza a transferência de 31 milhões de reais para associações e cooperativas de agricultura familiar. As organizações são selecionadas pelo Projeto de Desenvolvimento Produtivo e de Capacidade – ou “Projeto Paulo Freire”, com financiamento do Fundo Internacional da ONU de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

África e América Latina discutem soluções para produção de algodão

Foram identificadas oportunidades e ações concretas necessárias para o fortalecimento do setor, a partir da criação de uma rede de intercâmbio Sul-Sul de experiências entre os dois continentes. Diálogo foi organizado em encontro em Maceió pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC/MRE), pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Para erradicar a pobreza e a fome até 2030, há uma necessidade urgente de canalizar esforços globais para onde os problemas “acontecem mais profundamente no mundo”, disse o presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Kanayo F. Nwanze. Em outubro, a ONU marcou o Dia Internacional das Mulheres Rurais (15) e o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza (17). De acordo com Nwanze, o mundo precisa investir na população rural pobre, bem como estimular a agricultura familiar para que ela se torne parte importante do sistema produtivo. Confira neste vídeo

Uma nova aliança para a eliminação da pobreza rural na América Latina

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) constituíram uma aliança para eliminar a pobreza rural na América Latina, onde quase a metade dos habitantes rurais é pobre e cerca de um terço é indigente.

A iniciativa é formada por especialistas de desenvolvimento rural e tem por objetivo mudar o cenário da região. O principal objetivo da aliança é propor soluções inovadoras que tenham um impacto concreto na vida de milhões de pessoas.

Evento com Alicia Bárcena, secretária executiva da CEPAL. Foto: Cepal

CEPAL pede integração regional para garantir inclusão social

A secretária-executiva da Comissão Econômica da ONU para América Latina e Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, afirmou que, para alcançar uma maior coesão e inclusão social, é necessário recuperar a cooperação internacional e o multilateralismo, com um novo e revigorado papel da integração regional.

A alta funcionária das Nações Unidas participou, na semana passada, do seminário internacional “Os novos desafios da coesão social na Ibero-América”, organizado pela Secretaria-Geral Ibero-Americana e o Ministério das Relações Exteriores do Chile.

As modificações nas normas de compras públicas tornaram possível que agricultores familiares vendessem seus produtos a instituições públicas, inclusive escolas. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Parlamentares da América Latina e Caribe discutem inclusão de agricultura familiar nas compras públicas

Os programas de compras públicas para a agricultura familiar fornecem um vínculo entre os mercados locais, os governos e os programas de assistência ao usuário final. Segundo a FAO, iniciativas do tipo impulsionam economias locais, ampliam a saúda da população e valorizam a cultura local.

Parlamentares de oito países – Brasil, Equador, Guatemala, Uruguai, México, Costa Rica, Paraguai e Colômbia – se reuniram em Bogotá para trocar experiências sobre o tema.

Família de migrantes em Miratovac, Sérvia. Foto: ONU

OIT lança competição global de jornalismo sobre migração laboral

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) realiza uma competição global de jornalismo para reconhecer coberturas exemplares da imprensa sobre migração laboral. O objetivo é incentivar a produção de reportagens de qualidade sobre o tema.

Sem deixar de olhar para os aspectos negativos da migração laboral, como a dura realidade de exploração e violação dos direitos humanos e trabalhistas, os participantes são encorajados a destacar a contribuição positiva dos trabalhadores migrantes para os países de origem, trânsito e destino. As inscrições estão abertas até o dia 27 de outubro.

Protesto no Cairo em 2013. Foto: IRIN/Amr Emam

Governo egípcio continua violando direito à liberdade de expressão, alertam relatores da ONU

Relatores especiais da ONU expressaram nesta quarta-feira (30) profunda preocupação com os contínuos ataques à liberdade de expressão cometidos pelo governo do Egito. Informações recebidas pelas Nações Unidas dão conta de que as autoridades egípcias bloquearam o acesso aos sites de pelo menos 21 agências de notícias, incluindo fontes conhecidas de informação e sites de organizações de direitos humanos.

Mona e seu parceiro Kaj (à direita) assumiram o papel de avós de Diana. Foto: ACNUR/Max-Michel Kolijn

Avó finlandesa ajuda criança refugiada a encontrar paz longe de conflito no Iraque

Por conta do conflito no Iraque, Alzaldeen Kadhem, de 34 anos, e sua filha Diana, de 3, chegaram à Finlândia em 2015 na busca de um novo lar. Eles foram acolhidos por uma comunidade na ilha de Nagu, no sudoeste do arquipélago.

Lá, conheceram Mona Hemmer, de 80 anos, que passou a exercer o papel de avó da menina. Diana conseguiu encontrar paz na casa de Mona, onde podia relaxar, brincar com o cachorro, visitar o cavalo no estábulo da vizinhança e se sentir amada como uma neta.