Escolas não comportam número de novos deslocados internos na Somália, afirma UNICEF

17 de agosto de 2011 · Destaque, Notícias
Tamanho da fonte: Aumentar o tamanho da letraDiminuir o tamanho da letra


Share

Escolas não comportam número de novos deslocados internos na Somália, afirma UNICEFA seca tem ocasionado um grande fluxo de deslocados internos na Somália e muitas escolas, em campos de refugiados ou nos centros urbanos, não têm capacidade de acolher os jovens recém-chegados, informou nesta terça-feira (16/08) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Estima-se que 1,8 milhão de crianças entre 5 e 17 anos de idade não estejam indo à escola no centro e no sul do país africano.

Na capital somali, Mogadíscio, existem 155 escolas para deslocados internos operando, e que recebem cerca de 37 mil estudantes. Com a atual crise da seca, centenas de milhares de novas crianças chegam aos campos de refugiados todos os dias. Muitos dos recém-chegados sofrem de desnutrição aguda, e têm que esperar meses de tratamento médico e nutricional para que possam participar das atividades escolares.

De acordo com a oficial de Educação de Emergência na Somália da UNICEF, Lisa Doherty, é preciso instalar espaços de educação adicionais nas escolas que receberão mais crianças, e também recrutar e treinar novos professores. Ela informou ainda que a Somália tem uma das menores taxas de matrícula do mundo, com menos de 30% das crianças frequentando a escola primária antes da crise.

A Representante do UNICEF na Somália, Rozanne Chorlton, ressaltou que escolas são essenciais para a resposta de emergência, pois oferecem um lugar seguro de aprendizado para as crianças, bem como o acesso a água, saneamento e outros serviços básicos.

O UNICEF afirmou que é preciso que haja um apoio imediato para estabelecer espaços de educação para deslocados internos nas comunidades que os recebem. Eles também precisam de água, saneamento, quites escolares e material de recreação para 435 mil crianças, e incentivos para 5.750 professores.

Estão sendo elaborados planos para fornecer rações de alimentos nas escolas, que vão beneficiar os alunos e suas famílias, além de fornecer incentivo para que as crianças permaneçam na escola, ou que se matriculem pela primeira vez.

(Por Eva Gilliam, UNICEF)


Comentários

1 comentário para “Escolas não comportam número de novos deslocados internos na Somália, afirma UNICEF”

  1. Márcia Severino de Oliveira em 18 de agosto de 2011 às 12:04 am

    A Matéria que mais houve comentários contrários , pessoas demonstraram indignação em se investir e ajudar os Africanos, quanto ao Estudo “EDUCAÇÃO ESCOLAR “.EM que se mostra a necessidade de água, saneamento, quites escolares e incentivos para 5.750 professores. Com projetos de planos para alimentação nas escolas, beneficiando alunos africanos. MOMENTO QUE SE DEVE PENSAR NO BRASIL E NÃO NO POVO DA ÁFRICA.
    SEMPRE QUANDO BENEFÍCIO É PARA O NEGRO , ” MUITOS GRITAM…NÃO.”

Deixe seu comentário








  • Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014

    Campanha O Valente não é Violento
    Una-se pelo fim da violência contra as mulheres


    Meu Mundo: participe!

    Qual a sua prioridade?



    ONU e o Sudão do Sul

    ONU e a República Centro-Africana (RCA)

    ONU e a Síria




    Centro Regional de Informação das Nações Unidas (UNRIC) para a Europa Ocidental
    Clique aqui para acessar todas as campanhas e atividades da ONU Clique aqui para acessar todas a agenda da ONU e as datas internacionais