Desnutrição mata 300 crianças por hora no mundo, calcula ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Má alimentação impede o desenvolvimento de 170 milhões de meninos e meninas. Em países de baixa renda, risco de menores de cinco anos morrer é 18 vezes maior.

Crianças em um centro para pessoas com deficiência em Hargeisa, capital da Somalilândia Foto: IRIN /Jane Some

Num alerta sobre os riscos para a saúde enfrentados mundialmente por crianças, a Chefe de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, afirmou que a desnutrição provoca a morte de 300 crianças por hora. O problema também impede o desenvolvimento de, estima-se, 170 milhões de meninas e meninos.

“Isto é inaceitável, e medidas urgentes devem ser tomadas para proteger o direito de todas as crianças à vida, à sobrevivência e ao desenvolvimento”, afirmou Pillay na reunião anual sobre os Direitos da Criança, durante a 22ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, realizada na quinta-feira (7) em Genebra, na Suíça.

Segundo Pillay, em países de baixa renda, o risco de uma criança com menos de cinco anos morrer é 18 vezes maior.

Outros riscos crescentes incluem a obesidade infantil, abuso de drogas e problemas de saúde mental entre adolescentes. Para Pillay, o direito aos cuidados médicos está interligado a outros direitos. Se uma criança não tem atendimento médico, sua capacidade de frequentar a escola será afetada. Igualmente, se uma criança não está livre de violência, isso terá um impacto sobre sua saúde.

Pillay lembrou que os países têm a obrigação de garantir a todas as crianças o acesso a cuidados médicos sem nenhum tipo de discriminação, observando que muitas meninas e meninos são particularmente vulneráveis à marginalização. Dentre eles, estão as crianças com deficiência e doenças crônicas, crianças migrantes e as que vivem nas ruas.

“Os Estados devem reconhecer essa vulnerabilidade em potencial e assegurar que essas crianças também estejam protegidas”, destacou a Alta Comissária.


Comente

comentários