Democracia e Estado de Direito influenciam no desarmamento, diz representante da ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Para Representante para Assuntos de Desarmamento, Democracia e Estado de Direto ajudam na luta pelo desarmamento e no combate aos gastos militares.

Sergio Duarte, Representante para Assuntos de Desarmamento das Nações Unidas

Democracia e Estado de Direto têm um importante  impacto na luta a favor do desarmamento. Para Sergio Duarte, Representante para Assuntos de Desarmamento das Nações Unidas, as atuais revoluções democráticas no mundo mostraram como a ligação entre democracia e desarmamento são “indiscutíveis”.

“Com o crescimento da democracia, cresce a legitimidade das leis internacionais. E, com as leis sobre desarmamento sendo praticadas, o resultado é um mundo mais estável, justo e previsível”, lembrou Sergio Duarte nesta terça-feira (04/10), na 66ª Sessão do Comitê sobre o Desarmamento da Assembleia Geral da ONU, presidida pelo embaixador finlandês Jarmo Viinanen.

Democracia e Estado de Direto também foram citados como importantes ferramentas no combate aos altos gastos militares, que chegam a 1,6 trilhão ao ano. “Não podemos esperar a aurora de paz como uma condição para o desarmamento. Pelo contrário, nossas ações práticas reforçam a contribuição para alcançar paz e segurança internacionais.”

Durante 66ª Sessão da Assembleia Geral sobre o assunto, as deliberações do Comitê irão tratar de assuntos como armas de destruição em massa, regulação e limitação de armas convencionais, educação e relação entre desarmamento e desenvolvimento. O debate continuará até 11 de outubro.


Comente

comentários