Comércio global de drogas produzidas no Afeganistão movimenta 68 bilhões de dólares

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A cifra supera o Produto Interno Bruto (PIB) de diversos países. A maior parte dos lucros vai para grupos organizados transnacionais.

Heroína apreendida

O Afegão continua como o maior fornecedor de drogas ilícitas como ópio e heroína para mundo, com receitas de 68 bilhões de dólares em 2009. O valor supera o Produto Interno Bruto (PIB) de muitos país e a maior parte dos lucros vai para grupos transnacionais organizados. A estimativa é que agricultores afegãos se beneficiem com apenas 440 milhões do valor total.

As informações estão no estudo Comércio Global de Ópio no Afeganistão – Uma avaliação da Ameaça lançado na última quarta-feira (27/07) pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). É a primeira análise a abordar mais profundamente o tráfico de anidrido acético, composto químico que não é ilegal, mas é indispensável no processo de transformação do ópio em heroína.

Cerca de 38 toneladas de anidrido acético foram confiscadas em campos de produção de heroína em 2009. Estima-se que entre 300 e 500 laboratórios no Afeganistão tenham produzido até 380 toneladas de heroína em 2009, tornando o país na maior fabrica de morfina e heroína em todo o mundo. A maior parte teria sido embarcada para Europa (150 ton.), seguida por Ásia (120 ton.) e África (45 ton.).

O relatório afirma também que cerca de 16,5 milhões de pessoas em todo o mundo usam opiáceos sendo que a maioria abusa da heroína, utilizada por entre 12 e 13 milhões de pessoas, que consomem 375 toneladas de heroína anualmente.


Comente

comentários